Finalmente a Nintendo pode estourar o champanhe: sua criação mais nova – o primeiro vídeo game (e portátil) com imagens 3D sem a necessidade de óculos especiais – quebrou a marca de Um Milhão de unidades vendidas em seu país de origem.

A marca foi quebrada na semana entre o dia 16 e 22 de março – pouco antes do portátil completar três meses no mercado japonês – conseguindo o segundo lugar nos consoles mais vendidos, com 17 mil unidades. O primeiro lugar ainda é o PSP, que vendeu pouco mais de 30 mil unidades na semana.

Porém, esses números já não são mais assustadores para a Big N: afinal o PSP (atualmente o único rival em termos de números contra o 3DS) vendeu 934 mil unidades desde o começo do ano, e está vendendo bastante apenas por conta de alguns lançamentos associados à queda de preço do mesmo.

O motivo para que demorasse três meses para que esse número chegasse?

• Tsunami + Terremotos no Japão;

Esse foi o inimigo real contra o qual a Nintendo não teve como disputar diretamente. O que aconteceu no Japão diminuiu a grana geral do país, muitos gastaram o que tinham e o que não tinham para reconstruir seus lares. Enfim, esse fantasma ainda assolará os números da Nintendo por mais alguns meses.

• Line-up de lançamentos sem títulos da própria Nintendo;

A principal reclamação das third-parties quanto ao DS e ao Wii é que, sempre atrelado a algum lançamento, ou renovação desses consoles, algum lançamento da Big N estava saindo junto. Isso impulsionava os números do console e quebrava as pernas das Thirdies. Isso levou ao descaso de muitas dessas empresas para com a Nintendo. Ela, pensando justamente em trazer mais aliados a seu lado, decidiu deixar seus lançamentos próprios para depois da E3. Por isso, como o console não contava com nenhum The Legend of Zelda, Mario, Pokémon (afinal, Pokémon Black ainda é para o NDS), dentre outros, muitos não compraram seus portáteis. Isso vai mudar muito em breve, afinal a E3 vai trazer alguns jogos novos, e The Legend of Zelda sai logo também.

• As pessoas ainda não entenderam as principais funções do aparelho;

Muitas pessoas reclamaram do StreetPass e do SpotPass, por não sacarem qual é a real funcionalidade da parada. Nesse ponto a Nintendo vai ter que explicar muito bem para que as pessoas possam entender o quão útil esses recursos podem ser.

• A falta de um browser e da Nintendo 3DS Shop;

Uma boa parte das pessoas que compraram o 3DS reclama disso: a Nintendo fez um alarde grande para esses dois recursos, que ainda não estão disponíveis. Isso também vai mudar, afinal a grande atualização (que habilitará os dois recursos) virá logo após a E3.

• Preço do console;

Um portátil mais caro do que o console de mesa da própria empresa: essa é a realidade do Nintendo 3DS. Ainda mais agora, que o Nintendo Wii custa aproximadamente 199 dólares, contra 250 dólares do filho mais novo da Big N. Nisso a Nintendo terá que trabalhar muito, pois se ela resolver lançar uma versão Lite – o que geralmente barateia e muito a versão inicial do console – com tão pouco tempo, muitos irão se irritar. Eu incluso, aliás.

• PSP ficando mais barato.

A Sony tem novo lançamento para breve, o famoso NGP. Com isso, ela conseguiu baixar o preço de seus portáteis. E isso, combinado com o lançamento de diversos jogos para o PSP no Japão, alavancou as vendas do portátil próximo a ser aposentado. Por muito tempo, o PSP manteve-se na primeira colocação de vendas no Japão, sendo ultrapassado pelo 3DS apenas em maio.

Levando tudo isso em consideração, pode-se dizer que a Nintendo está começando a engrenar e, se jogar as cartas corretamente, poderá ultrapassar o número de unidades que o NDS vendeu. Tudo depende dos lançamentos certos, de barateamento do valor do 3DS sem a necessidade do lançamento de uma versão Lite tão cedo, de um line-up grande e interessante na 3DS Shop e um pouco de sorte.

Ainda falando desses números, fornecidos pelo instituto Media Create, temos que fazer uma menção honrosa ao PSPGo, o maior #fail da Sony: em uma semana aonde o PSP contou com mais de 30 mil vendas, a versão mais nova do console contou com a imensa quantidade de SESSENTA E CINCO aparelhos vendidos. Uma salva de palmas para esse tiro no pé, amigos!